sábado, 11 de julho de 2009

ENTREVISTA PARMALAT NO SKATISMO

Nessa semana, saiu no site do skatismo uma entrevista com Maurício Parmalat. As fotos foram feitas, em sua maioria, pelo fotógrafo Léo Barreto, em sua ultima visita à sua terra natal, Belém. Confira abaixo a matéria e conheça um pouco mais sobre esse skatista de manobras de peso e de idéias sempre positivas. As fotos foram feitas nas ruas de Belem e transmitem o skate verdadeiramente de rua, bem a cara do Parma !!!

"Se a pista do IAPI não foi o ninho é, pelo menos, um dos motivos do alto nível do skate gaúcho nos últimos tempos. Mauricio Parmalat não nasceu em Porto Alegre, mas foi no “solo sagrado” (como ele mesmo define) do IAPI onde aprendeu e exbanjou o alto nível que o colocam entre alguns amadores mais considerados do estado. Além do RS Parmalat também faz parte da crew de skatistas do Pará. Como? Leia a entrevista." (http://www.skatismo.com.br/)



Nollie BS Noseblunt na mesa de Santo Ângelo / RS
foto: Lauro Markz


Dá pra explicar este apelido, Parmalat?
Vem do futebol, na época que eu jogava bola tinha uma camisa do Palmeiras na época do Palmeiras/Parmalat. Daí já viu né, os moleques eram muito folgados aí não gostei e o apelido ganhou força. Comecei a andar de skate e o apelido ficou!

Dúvida: Você nasceu e começou a andar de skate em Belém ou Porto Alegre?
Nasci em Belém, mas vim morar com meu pai em Porto Alegre ainda molequinho, montei meu primeiro skate em uma visita a Belém de férias, mas devo o aprimoramento do meu skate às minhas influências Porto Alegrenses.


Backside Lipslide no corrimão da pista pública do Marex em Belém
foto: Leonardo Barreto


Qual sua relação com o skate do Norte do país? Costuma ir direto pra lá?
Faço parte do skate paraense e vice-versa, digamos que a gente se completa, he, he, he! O skate paraense tem uma influência muito grande no meu estilo de skate e ao mesmo tempo também sei da minha importância para o skate de lá! Sempre que tenho oportunidade vou passar uns dias em Belém!

O que um skatista encontra de bom em Belém?
A verdadeira essência do street skate, pelo amor e pela simplicidade que deve ser andar de skate descontraído e desencanado com os amigos em excelentes picos de rua! E mais um pessoal de qualidade querendo mostrar serviço como é o caso do Léo Barreto (fotógrafo).


Backside Tailslide no caminhão em Belém / PA
foto: Leonardo Barreto


Você é praticamente cria da pista do IAPI, em Porto Alegre? Qual a importância dela pra você e para o skate local?
O IAPI é um solo sagrado, berço de vários caras de destaque e muitos ainda vão surgir! Diria que pro skate o IAPI é o solo perfeito que não tem como não dar certo! Aqui as coisas acontecem, tanta gente já surgiu daqui que não teria nem como citar todos pois daí vou lembrar dos que estão por vir, he, he, he. E vem gente heim? Me sentiria um cara realizado se as pessoas de alguma forma ligassem meu nome com esse lugar!

Como você se define e o que te deixa contente ao andar de skate?
No processo evolutivo do skate há dois tipos de skatistas: os talentosos e os esforçados. Acho que eu me encaixo no segundo time, dá pra se dizer que conquistei meu espaço na persistência mesmo! O que me deixa feliz é andar com os amigos e conhecer novos lugares sem pressão e sem compromissos, ando de skate pra mim e não pros outros!


Switch Ollie galpão do Léo em Belém do Pará
foto: Leonardo Barreto


Quais teus objetivos no skate e para o futuro pessoal?
Pretendo ir pra América em Dezembro disputar o campeonato de Tampa na Flórida. Já que ganhei as passagens como premiação do Circuito Paraense 2008, realizado pela Federação Paraense que tem à frente Mário Heskth, trabalhar minha imagem no skate, viajar mais e mais... Meu futuro pessoal, quero ser feliz e aproveitar tudo que a vida tem de bom a oferecer.

Quem você acha que está andando muito de skate atualmente? Quais são tuas influências?
Poutz tem uma galera: Patrick Vidal, (Carlos) Iqui, (Gutiele) Pulga, Dwayne (Fagundes) mais uma galera andando bem. Minhas principais influências são Cezar Gordo, Rodrigo TX, Danny Montoya, Enrique Lorenzo, Jack Curtin e Stevie Willians.





O que costuma fazer quando não está andando de skate?
Sou técnico e tenho uma assistência técnica de informática aqui em Porto Alegre, trabalho nela durante o horário comercial, concilio isso com os corres da Naipe, marca que me patrocina e que onde, devagarzinho, começo a fazer um trabalho de team manager e de divulgação e marketing (só tenho a agradecer o Murilo pela oportunidade, ele é um cara visionário). Fora isso, namorada e família!

Acho que tá bom! Mais alguma coisa a declarar?
Não, só agradecer, a minha família pela força sempre, a minha mina Juliana eu te amo, a meu patrocinador Naipe (acesse www.naipeskate.blogspot.com), e a todos os amigos e aqueles que de alguma forma já ajudaram nessa longa caminhada.


Switch BS Noseslide, borda alta em Belém do Pará
foto: Leonardo Barreto

2 comentários:

skate atitude... disse...

po parabens sempre parma! vc sempre é um estimulo aki no norte! abração e paz skate sempre! ass: ely marcio"ceará"

william disse...

pod cre parma da hora a matéria parabéns tu é um cara q tá sempre n corre entre lesoes evigens q são consequencia do esporte abraços.